terça-feira, 14 de agosto de 2012

A Farsa da Construção do Brasil

                                                          13/05/2012

Quando o Brasil começou a ser moldado, só pobreza existia aqui, não havia o que comer o que vestir as espécies miseráveis que vinham eram degradados e praticantes do coito e não havia educação.
Um país que já teria o seu destino selado com pobreza entrelaçado em suas raízes, os intérpretes do Brasil narram muito bem essas passagem de fome e miséria na historia de um país que ainda reflete muito de seu passado maldito.
Matava-se por causa de terra, por sexo por cristo, a ordem da coroa era dar um quinto do ouro encontrado motivo de algumas guerras. Escravizaram os nativos, estupravam as mulheres; E as crianças, imaginem as crianças nesse mundo insensato de loucos e selvagens. 
Não havia um projeto para essa construção. Elsa foi feito as pressas e sem nenhum preparo. Depois o homem que estava aqui era cordial por tento incompatível com o capitalismo, ele preferia fazer um amigo a manter umas relações comerciais ligadas a amizade e não a interesses. 
 Como disse Sergio Buarque de Holanda, nas suas raízes do Brasil, quando da separação de Brasil e Portugal; Mas as unidades da coroa portuguesa foram mantidas quer dizer um país que já nascia endividado, mas não podia mexer nos interesses portugueses.
Portugal e Brasil pagaram muito caro por causa de suas raízes e entre laços religiosos a revolução religiosa passou longe desses países, e como nos sabemos a ética protestante é capitalista, isso não existiu no Brasil, mesmo             que tivesse acontecido talvez não mudasse em nada, pois só ser veria para enriquecer uma elite dominadora. 
O nosso futuro já estava selado com um país nascendo com pobreza e analfabetismo. Até parece que nos ficamos parados no tempo com varias oligarquias as grandes famílias poderosas que se envolve em política em todo esse país até hoje eu não vejo o verdadeiro reflexo do progresso como disse Augusto Conte “Ordem e Progresso”, e o Brasil pegou isso para se iludir dessa ordem que nunca veio. 
A maioria dos homens que vinham para cá eram oprimidos, endividados, escravizados, submissos da coroa não havia uma mentalidade revolucionária, a igreja veio em peso para dominar as mentes do nativo e com o objetivo de construir um império aristocrático na America.  
E o nativo que tele que engolir uma coroa, e uma igreja que os dominava e fazia perder a sua identidade cultual ao longo do tempo. Assim como a igreja decretava a morte cultural daquelas pessoas outro tipo de violência era praticado pelos  bandeirantes que violentavam de todas as formas os nativo 
Não era apenas o  nativos que sofria, com esse choque traumatizante com o europeu os que vieram também passavam por problemas nessa terra rústica e calorenta em sua vida sofrida eram eles que iriam fazer desse lugar um país.
“Os homens livres e pobres que viviam, em grande numero perambulando pelas margens pedindo esmola, e comida brigando nas vendas ou praticando pequenos furtos, por não terem ocupação”. Segundo os livros era esse o quadro da grande parcela da população que vivia no Brasil na época da colônia. E hoje o que você ouve falar sobre a população nos jornais na televisão e na conversa entre as pessoas. A riqueza e a educação eram para poucos na colônia e hoje será que a história mudou o que nos estamos fazendo para mudar essa realidade em favor da maioria como indicou Karl Marx.
Sebastião Pereira Viana Júnior